Alimentos orgânicos

Maneiras seguras de descartar medicamentos
22 de fevereiro de 2016
Validade de alimentos secos / não perecíveis
7 de março de 2016
No mundo dos alimentos, diferente da química
básica, o termo orgânico se refere à forma com que um alimento é cultivado. De uma forma resumida, chama-se de orgânico o
alimento que é cultivado sem o uso de agrotóxicos e sem a tecnologia dos
transgênicos.

   O uso de
substâncias químicas para melhoria no desempenho da agricultura acaba por
deixar traços dessas substâncias nos alimentos. 
Isto faz com que os consumidores sejam expostos à produtos que,
sabidamente, causam diversos males à saúde, desde intolerâncias alimentares até
o risco de câncer, passando pelo efeito de “disruptor endócrino”, atrapalhando
o funcionamento dos hormônios (como foi descrito num outro post desta
página).


   De uma
forma geral, deve-se sempre dar preferência para produtos orgânicos.  No entanto, como o custo ainda é um problema,
deve-se dar preferência principalmente a frutas e vegetais de casca fina, como
o tomate e o morango.  Frutas de casca
grossa, como a banana, tendem a ser menos afetadas pelos agrotóxicos.


   Da mesma
forma que os vegetais, animais também podem ser criados dentro do conceito de
orgânico: isto leva em consideração desde o tipo de ração com a qual estes
animais são alimentados até o uso de substâncias como hormônios e antibióticos.

   A carne do
gado alimentado com ração tende a ter mais gordura entre as suas fibras e,
podem ser encontrados dentro desta gordura, traços de antibióticos e hormônios
que foram utilizados na produção.  O
mesmo acontece com o frango, porco, peixes, etc.  Não só a carne do animal, mas seus produtos
diretos e derivados como leite, ovos, manteiga, também são afetados pela
criação de massa.
   
   A criação ideal deve ser feita com os animais relativamente soltos, respeitando o
comportamento natural da espécie, se alimentando do pasto e não de ração, sem
uso de químicos (hormônios, antibióticos e melhoradores de crescimento), sem
maus tratos inclusive na hora do abate. Outros produtos de origem animal, como
o mel, deveriam seguir a mesma lógica.


   Com isso,
estes produtos tendem a ser mais saudáveis, terem menos gorduras e menos riscos
à saúde.  Quando o selo de orgânico é colocado em um
produto de origem animal, todas estas etapas devem ser respeitadas.

   No Brasil,
o ministério da agricultura regulamenta a produção de orgânicos através de um
selo.  Mais informações podem ser
pesquisadas no site:

    Muitas pessoas me perguntam aonde eu compro meus produtos
orgânicos… Confesso que às vezes, por pressa ou falta de planejamento, acabo
comprando no mercado mesmo… Infelizmente os produtos orgânicos, comprados nos
grandes supermercados, ainda são bem mais caros do que os tradicionais…


   No entanto, FELIZMENTE, as opções alternativas aos
supermercados estão crescendo cada vez mais. Em Campinas (SP) existem várias
iniciativas de grupos e feiras que promovem a agricultura familiar e o contato direto produtor-consumidor.


   Sem passar por
intermediários, o preço é mais justo para nós, consumidores, existe a
possibilidade de conhecer diretamente a procedência do seu alimento, além do
fato deste gesto ser também uma ajuda social, uma forma de estimular os
pequenos produtores e diminuir a força dos grandes conglomerados na ditadura de
preços do mercado…

   Neste post, ajudo a
divulgar algumas destas iniciativas em Campinas… Mas com certeza existem
projetos parecidos em outras cidades do Brasil!


   Quem conhecer, por
favor, não deixe de divulgar!


   Uma ótima semana a todos!

(Este texto é de minha autoria e foi escrito com base nos posts originalmente publicados na página profissional do facebook em agosto de 2013)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *