Especial Outubro Rosa/Novembro Azul: O que é BIÓPSIA? Entrevista com a Dra. Icléia Barreto, Médica Patologista

Especial Outubro Rosa: Reposição Hormonal Feminina!
24 de outubro de 2016
“Brigadeiro” sem culpa: vegano, sem gluten, low carb (diabetes-friendly)
2 de novembro de 2016
Para terminar este mês e o especial “Outubro Rosa” e começar com pé direito o “Novembro Azul”, vim falar de um assunto que é muito falado porém pouco conhecido em detalhes pelas pessoas: a BIÓPSIA.
Este exame é importantíssimo para o diagnóstico diferencial de tumores (entre benigno e maligno) e também para muitas outras situações médicas.
Para isso, convidei a Dra. Icléia Barreto, Médica Patologista da Unicamp e Professora da Faculdade de Medicina São Leopoldo Mandic, para explicar tudo pra gente!

Muitas vezes, as doenças neoplásicas (câncer) se apresentam no começo como “nódulos” ou “tumores”.  No entanto, nem todos os nódulos são malignos (cancerígenos)  e temos muitas doenças que também se apresentam com caroços e são benignas.
Isto acontece por exemplo nas doenças da mama, de próstata e na tireóide, onde a maioria dos nódulos não é câncer.  No entanto, é importantíssimo fazer esta diferença para o planejamento do melhor tratamento a ser feito.

E para isso, o médico lança mão de um exame chamado “Biópsia”, onde há a retirada de um pedacinho daquele caroço para uma avaliação mais profunda.

Mas como se dá esta avaliação? Quem avalia? Qual a formação necessária para que este profissional tenha a capacidade de fazer esta análise?

Perguntei tudo isso pra Dra. Icléia! Vamos a entrevista!



1) O médico patologista é o responsável pela avaliação do material retirado de uma biópsia. Você poderia explicar melhor o que faz um médico patologista? O que é esta especialidade?

Dra. IcléiaO médico patologista é o especialista que faz a análise de biópsias, ou seja, de fragmentos de tecido do corpo humano, quando há necessidade de se investigar diversas doenças. O seu local de trabalho é o laboratório de Anatomia Patológica e Citopatologia, que pode ser privado ou fazer parte de hospitais públicos.   


Patologia significa o estudo das doenças, sendo o médico patologista o responsável pelos estudos das doenças a serem diagnosticadas através das biopsias ou de exames citológicos.
O médico patologista analisa, portanto, biopsias de mama, pele, de estômago, de esôfago, de garganta, de boca, de intestino, de cérebro, de osso e de muitos outros órgãos, além de analisar exames citológicos de colo uterino (exame de Papanicolaou), de tireoide, mama e de líquidos que se acumulam nas cavidades do nosso corpo (cavidades pleurais, peritoneal, articular e pericárdica, além do líquor, o líquido que percorre o nosso sistema nervoso central).


O médico patologista é importantíssimo no diagnóstico de neoplasias malignas, sendo o seu laudo final utilizado para a conduta a ser adotada pelo oncologista, hematologista, cirurgião oncológico e outros tantos profissionais envolvidos no tratamento oncológico.  


 Para um médico poder realizar exames tão complexos, é necessário fazer uma Residência Médica de 3 anos em Patologia, após ter feito obrigatoriamente, 6 anos de Medicina.  Em seguida, o médico patologista poderá se submeter à prova de Título de Especialista em Patologia. Desta forma, é uma especialidade que necessita de muita atualização profissional e muito estudo, pois as classificações das doenças costumam mudar de tempos em tempos.


Muitas vezes, o paciente não conhece a especialidade “Patologia”, como também não sabe a diferença entre o Patologista e o Patologista Clínico. É muito frequente esta dúvida. Diferente do Patologista, o Patologista Clínico é o médico que fez residência médica de Patologia Clínica, sendo o responsável por analisar exames de sangue, fezes, urina, várias dosagens no sangue, entre tantos outros exames laboratoriais, e atua nos Laboratórios de Patologia Clínica ou Análises Clínicas.
2) Em relação às biópsias em geral: para que elas servem?
Dra. IcléiaAs biópsias são fragmentos de tecido que podem ser de várias partes do nosso corpo, que são retirados pelo seu médico ou pelo cirurgião, e servem para tentar diagnosticar a causa das doenças e poder tratá-las da melhor forma possível, seja através de antibióticos, outros remédios, de quimioterapia, de radioterapia ou de novas cirurgias, quando necessário. Portanto, as biópsias servem para auxiliar no diagnóstico de doenças benignas, malignas, infecciosas e até mesmo, as de origem autoimune.
3) Uma biópsia é suficiente para dar um diagnóstico?
Dra. IcléiaApesar de a biópsia ser um método diagnóstico importantíssimo para as diversas doenças, nem sempre ela é conclusiva e no laudo do patologista poderá constar o termo “Amostra inconclusiva para diagnóstico”. Este laudo significa que os achados microscópicos não são suficientes para chegar a um diagnóstico preciso na biópsia que foi realizada. 


Na grande maioria das vezes, é necessária uma estreita correlação dos resultados da biópsia, com a história clínica do paciente, com exames laboratoriais de Patologia Clínica, com exames de imagem (como radiografias, ressonância, ultrassom e cintilografia, entre outros métodos) e como a doença evolui com o decorrer do tempo. Portanto, sempre o diagnóstico das doenças é baseado na correlação entre todas estas variantes.
  
4) Por isso que às vezes é preciso repetir a biópsia?
Dra. Icléia: Sim. Em algumas situações é necessário repetir a biópsia. Às vezes, é necessário fazer várias biópsias das lesões (lugares do corpo onde estão as doenças), para se chegue a um diagnóstico. 

Muitas doenças se apresentam de formas diferentes com o passar do tempo e, com isso, a avaliação de várias biopsias poderá fornecer mais informações para se chegar finalmente a um diagnóstico ou resultado definitivo. É como montar um quebra cabeça. 

   
5) Além da biópsia, que outras tarefas tem os médicos patologistas?
Dra. IcléiaAlém dos diagnósticos de biópsias e citologia, o médico patologista realiza exames de congelação de tumores, durante uma cirurgia, enquanto o paciente está anestesiado, visando um diagnóstico e melhor conduta pelo cirurgião naquele momento. É um profissional que fica no anonimato, sem que o paciente saiba da sua importante participação num momento tão delicado.


O trabalho do médico patologista é muito artesanal, por isso, os laudos de biópsias costumam demorar cerca de 3 dias a 1 semana, porém em alguns casos específicos, pode demorar um pouco mais e essa demora pode causar angústia no paciente, por não saber que o método requer várias etapas e estudos. O que quer dizer isso? Ao receber uma biópsia no laboratório de Anatomia Patológica e Citopatologia, o médico patologista descreve detalhadamente o que vê num fragmento de biópsia. Essa etapa se chama macroscopia. 


Após realizada esta etapa, o médico patologista, coloca os fragmentos numa máquina que se chama processador histológico, na qual o fragmento é processado por 1 noite. No final do processo, o fragmento de tecido gera um bloco de parafina, o qual funciona como reserva do que foi retirado da biópsia do paciente. De cada bloco de parafina é feita 1 lâmina contendo o tecido biopsiado, que é analisada no microscópio, onde é feita a microscopia, que é a análise da lâmina. O bloco de parafina poderá ser utilizado para colorações especiais e para estudos complementares como imunoistoquímica, método este que auxilia a classificar os tumores. 


Também, é possível fazer um exame muito complexo chamado de imunofluorescência, que serve para investigar doenças como as que ocorrem na pele, mucosas e rins. Este último método é muito importante para o diagnóstico de doenças bolhosas da pele, como os pênfigos e lúpus e para as doenças renais chamadas de glomerulonefrites. 


O médico patologista pode realizar punções aspirativas de nódulos tireoidianos cervicais, de partes moles e de outras regiões do corpo, com finalidade diagnóstica. Este método é conhecido como PAAF (punção aspirativa por agulha fina), embora alguns médicos a chamem de BAAF (biópsia aspirativa por agulha fina). Este método pode ser utilizado para o diagnóstico de nódulos tireoidianos e de mama, por exemplo. Dependendo do diagnóstico citológico, poderá ser realizada ou não, uma cirurgia para a retirada do nódulo.


Cada vez mais, o médico patologista é importante no diagnóstico de tumores, podendo atuar na patologia molecular, por exemplo, que serve para a pesquisa de mutações genéticas observadas em determinadas neoplasias, possibilitando tratamentos mais específicos (conhecida como terapia alvo) e a pesquisa de novas drogas no combate, contra o câncer.


Também, o médico patologista atua na realização de necropsias de fetos, crianças e adultos, para a investigação de diversas doenças, que é um estudo muito importante, para esclarecer dúvidas tanto para a família quanto para a equipe médica que acompanhava o paciente. Neste tipo de avaliação, são analisados todos os órgão do paciente. Infelizmente, o número de necropsias tem caído mundialmente, mas a família do paciente poderá solicitar a realização de necropsia ao médico que assistiu o seu familiar.    


Outro campo de atuação do médico patologista é a área acadêmica, atuando como professor e pesquisador, em faculdades particulares e universidades públicas, após fazer mestrado, doutorado ou pós-doutorado.

Por fim, o patologista pode atuar na administração de laboratórios públicos e privados, sempre zelando pelo melhor diagnóstico dos laudos anaátomo-patológicos e citológicos.

6) Existem então patologistas especialistas em diferentes áreas?
Dra. IcléiaSim, existem patologistas especialistas em diferentes áreas. Eu, por exemplo, atuo em Patologia de Cabeça e Pescoço, Citopatologia e Endócrinopatologia, ou seja, atuo no diagnóstico de neoplasias de região das fossas nasais, nariz, garganta, boca, laringe, faringe, tireoide, suprarrenais, paratireoides, além de analisar citologias aspirativas de tireoide, linfonodos, nódulos cervicais, colo uterino e líquidos corpóreos de diversas origens.


Há outros patologistas que são especialistas em doenças hepáticas, neoplasias cerebrais, neoplasias infantis, neoplasias do sangue, de doenças da pele, entre outras especialidades.

7) Dra. Icléia, muito obrigada pela sua participação! Gostaria de deixar alguma mensagem, dica ou recado para os leitores do blog?
Dra. IcléiaSim. Eu gostaria de aproveitar que ainda estamos no mês de outubro e deixo aqui uma mensagem para as nossas pacientes, sobre a necessidade de fazer o autoexame das mamas e de fazer consultas regulares com os seus médicos. A idéia sempre é prevenir o câncer da mama. Não tenham vergonha e procurem se cuidar sempre! 


A melhor forma de combate ao câncer de mama se chama prevenção, que começa com o diagnóstico precoce, o qual possibilita melhores formas de tratamento, maior sucesso e maiores chances de vida! Lembrem-se disso! Fica aqui o meu apelo sobre a prevenção do câncer de colo uterino. Assim como o de mama, a prevenção é tudo! Visitem regularmente o seu médico ginecologista, para fazer o exame citológico do colo de útero, conhecidíssimo como o exame de Papanicolau.

Quanto a minha especialidade, sempre aconselho a abandonar o fumo, porque aumenta a incidência de câncer de boca, garganta e laringe, dentre outros órgãos. Além disso, o hábito de fumar, aliado à ingesta de bebidas alcoólicas, aumenta a possibilidade do surgimento de câncer nestes locais. 


Lembrem-se também, que o fumo pode levar à doenças pulmonares incapacitantes Quanto à tireoide, ao perceber nódulos no pescoço, que causem dificuldade para engolir ou respirar, procure o seu médico endocrinologista, para melhor avaliação diagnóstica. Aos homens, lembrem-se que vamos entrar no novembro azul, mês de conscientização da prevenção do câncer de próstata.


Havendo a necessidade de análise de uma punção e/ou biópsia ou mesmo para esclarecer dúvidas referentes ao seu exame, procure o seu médico patologista!


Para melhor conhecer a nossa especialidade, visitem o site da Sociedade Brasileira de Patologia (www.sbp.org.br), lá será possível buscar muitas outras informações.

Não tenho palavras para agradecer tamanho carinho e dedicação que a nossa querida Dra. Icléia teve ao responder à entrevista! Muito obrigada!!!
Espero que tenham gostado!
Um forte abraço a todos, com muito amor e prevenção!

9 Comentários

  1. neide duarte disse:

    Espetacular: em linguagem simples, a Dra. Icléia deu um show.

  2. Muito obrigada, Sra Neide!!!
    Agradeço, também à Dra Juliana pela oportunidade de divulgar a minha especialidade num canal tão importante!

  3. Unknown disse:

    Ótimo, Icléia. Precisamos mesmo divulgar a especialidade. Não estamos na linha de frente, mas somos fundamentais. Parabéns.
    Liliana De Angelo Andrade

  4. Parabens Dra. Icleia !! Excelente materia !

  5. Anônimo disse:

    Excelentes os esclarecimentos sobre biópsia. Não é nada simples o diagnóstico e análise do material da biópsia. Parabéns pela entrevista! Bjs M

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *