[Estórias Inspiradoras] Entrevista com Gláucio Frutuoso, do perfil @resolviseratleta

Especial Dia das Mães: Fazer ‘dieta’ não precisa ser caro! [O tema deste post foi minha mãe quem escolheu! :) ]
8 de maio de 2017
[Especial Semana da Tireóide] Iodo, Selênio e funcionamento da Tireóide: É preciso repor?
22 de maio de 2017

Neste post de estréia da seção “Estórias Inspiradoras” aqui do blog, entrevisto o Gláucio Frutuoso, Engenheiro do Rio de Janeiro, que perdeu mais de 30 kg somente com dieta e atividade física e ainda por cima hoje inspira muitas pessoas com seu perfil do Instagram @resolviseratleta.

Eu conheço o Gláucio desde a adolescência e ele sempre foi uma figura muito presente em qualquer roda de conversa: comunicativo, divertido, um verdadeiro bon vivant.

Porém o Glaucio sempre teve tendência a ser mais “cheinho” e depois do casamento, acabou ganhando muito peso.

Nosso contato nos últimos anos era basicamente através das redes sociais e depois de um certo tempo, comecei a notar uma mudança radical não só na sua imagem mas principalmente no teor das suas postagens: uma visão extremamente positiva sobre a vida e que contagiava muitos para o seu novo mundo.

Por este motivo, decidi convidar o Gláucio, amigo querido e grande exemplo de superação, para estrear essa sessão aqui do blog contando a sua estória e inspirando a todos nós!

Segue a entrevista!

1) O que chama atenção na sua estória é que você teve um despertar para um novo estilo de vida e foi justamente este despertar que te levou a alcançar os seus objetivos (e não medicamentos ou cirurgias). O que causou o seu despertar? O que fez você “virar a chave”?

Gláucio: Na minha infância sempre estive acima do peso, no início da adolescência isso me incomodou e eu acabei entrando pra academia, perdi peso, mas eu nunca fui um adolescente magrinho. Sai da faixa da obesidade naquele período e pra mim já estava valendo. Essa relação complicada com a balança voltou com tudo no início da minha vida adulta, a ansiedade pela colocação profissional e iniciar a faculdade tiraram meu foco pra minha condição estética, com 18 anos você só pensa na estética, saúde nem passa pela tua cabeça.

Dos 20 aos 30 anos eu engordei mais de 30 kg, até onde eu sei cheguei a 117 kg, digo até onde sei porque assim como muitos nessa condição eu deixei de subir na balança por um bom tempo, acredito que por vergonha ou por não querer encarar a realidade. Nesse período de 10 anos ou mais eu até tentei ir a academia algumas vezes, fazer uma dieta ou outra, mas sem sucesso, eu não tinha qualquer compromisso com o processo. Esse descompromisso se dava muito pelo fato de meus exames e taxas estarem sempre dentro da faixa limítrofe, eu ainda brincava com a minha esposa dizendo que “time que estava ganhando não se mexia”.

Só que o jogo virou numa dessas visitas de rotina ao cardiologista, apesar de meus exames estarem sempre abaixo do limite a curva era ascendente um dia ela extrapolou o limite, neste dia em especial foi quando minha pressão chegou a 18/10 o médico já meu deu um remédio hipertensivo pra tomar na hora e me prescreveu outro pra passar a tomar, informando que dali em diante eu jamais deixaria de tomar remédio pra pressão, foi esse choque que me fez mudar, isso foi em 2013.

Eu tenho aversão a qualquer procedimento cirúrgico, estar no peso próximo ao que alguns amigos estavam quando fizeram a cirurgia bariátrica já me deixava pensativo, então, receber o diagnóstico de que eu me tornara hipertenso foi a gota d’água. Não aceitei a ideia de tomar um remédio pra vida toda, mas a determinação para conseguir mudar o quadro não apareceu no outro dia a notícia.

2) Você já gostava de praticar exercício antes? Como foi no começo?

GláucioNunca fui de praticar esportes, sempre fui de “evitar a fadiga”, gostava de ver TV, vídeo game, computador, barzinho, churrasco na piscina e coisas do tipo, nem mesmo aquele Futebol no final de semana com os amigos!

Em 2012, antes do “despertar”, comecei a caminhar/trotar por conta própria eu estava próximo dos 120 kg e na ansiedade por resultado rápido dei uma intensidade para a qual eu não estava preparado e me machuquei devido ao impacto com o excesso de peso, essa foi a primeira lição que tive no esporte antes mesmo de começar de fato o meu processo no ano seguinte. Não cheguei nem há fazer 1 mês me exercitando nessa época.

Em 2013 depois de diagnosticado hipertenso, obviamente o médico me encaminhou para uma nutricionista e me recomendou iniciar uma atividade física. Como eu ainda estava tratando a lesão no calcanhar (e não tinha liberação médica pra fazer musculação no momento), procurei uma academia com Hidroginástica. Combinei uma aula experimental, lá estava eu pronto pra entrar na água e mandar bala, mas então bateu uma ” bad “, ver que o mais novo na aula tinha talvez o dobro da minha idade e refuguei, não fiz a aula. Falei com a atendente, informei que tinha desistido e ela me convenceu de tentar a aula de natação, topei e ali começou tudo, Março de 2013.

Aulas Seg, Qua e Sex as 6 h da manhã (ao menos a água era aquecida), alunos de todas as idades, mas uma das melhores nadadoras ainda tinha o dobro da minha idade, enquanto eu nadava 25 m e parava pra respirar, ela aquecia nadando 400 m sem parar. Sem saber ela se tornava pra mim uma referência, um agente motivador, um adversário a ser batido na piscina. Essa minha veia competitiva, que se impõe metas e objetivos foi fundamental no processo.

No entanto, durante 8 meses de atividade física 3 x na semana eu ainda não tinha mudado meus hábitos alimentares, continuava a pecar na alimentação. Eu perdi peso nesses 8 meses, cheguei em Dezembro 2013 com 8 kg a menos, mas nos 6 meses seguintes recuperei 5 kg, mesmo mantendo a natação. Mais uma lição aprendida, alimente-se melhor.

3) Quando você percebeu que já tinha se tornado outra pessoa? Quanto tempo demorou para você realmente “internalizar” que já estava trilhando um novo caminho?

Gláucio: Mais de 1 ano depois de começar meu processo de mudança eu ainda estava tomando remédio pra pressão e apesar de já ter ido a nutricionista eu não seguia meu Plano Alimentar, o resultado era que o peso tinha mudado muito pouco apesar de já estar nadando melhor e minha condição física já ser outra.

Em Agosto de 2014 meu professor de natação me desafiou a me inscrever numa travessia de 1 km no Mar junto com outros alunos, me empolguei mas declinei, não me sentia confiante ou preparado para aquilo. No entanto, soube que a mesma travessia aconteceria em Dezembro novamente, então eu decidi me preparar pra ela, procurei um nutricionista esportivo, segui o Plano Alimentar, me dediquei nos treinos e comecei a fazer inclusive musculação (já liberado pelo médico). Procurei uma assessoria de natação em águas abertas para fazer umas aulas no mar (foi quando conheci a #VemNadar) e em Dezembro de 2014, depois de perder mais de 15 kg, eu fiz a minha primeira Travessia de águas abertas 1.000 m no mar de Copacabana! Nesse dia eu tive certeza que eu tinha mudado completamente.

4) A ajuda de outras pessoas foi importante neste processo? O “contágio social” contou pontos para você conseguir se manter no foco?

Gláucio: Com certeza! No início você sofre com o OPOSTO, já que seu círculo social está acostumado com uma pessoa sedentária, que quer beber e comer até o sol raiar, dormir o resto do dia, então quando você aparece e diz que não vai beber ou prefere uma salada vira o assunto da noite. Eu sempre fui esse cara, o que sacaneia, o que por vezes te constrange sem querer e de repente os papéis se inverteram.

Teus amigos serão o motivo do teu fracasso ou do seu sucesso e isso depende mais de você do que deles, depende da atitude que você toma em relação as brincadeiras, alfinetadas e situações em que te colocam. No meu caso, quando eu ouvia que “era só uma fase”, “não dura 3 meses”, “modinha projeto verão”, entre outras frases, elas viravam combustível pro treino e pro foco na alimentação. Obviamente não era apenas isso que eu ouvia, outros davam força e incentivavam, mas tua cabeça, sua mente acaba focando no que te põe pra baixo, tentando fazer você voltar pra estaca zero, fazer você duvidar de você mesmo. Hoje é diferente, meus amigos já assimilaram o ” novo Glaucio” , fico feliz demais quando me procuram pra ter alguma dica de como começar ou falam que os inspirei a começar atividades físicas.

Eu tive outra ajuda social, como disse, em 2014 eu passei a treinar com uma assessoria de natação no mar, a #VemNadar, treinava apenas nos Sábados com eles na Praia Vermelha e isso foi fundamental no meu processo. Conheci pessoas com os mesmos objetivos que eu, que entendiam que eu não podia ficar bebendo na Sexta noite a fora porque sábado era dia de treino, que não se importavam em ouvir falar do teu novo plano alimentar, suplementação, estresse muscular, enfim, estávamos em sintonia e criar este novo ambiente social foi um marco no meu processo. Hoje eu tenho um mundo amigos que o mar me deu.

Mas o que ainda me mantém focado é minha veia competitiva, aquela que me fez querer nadar mais que a senhora nadadora da escola de natação, que me fez treinar o suficiente pra aceitar o desafio de nadar no mar. Eu quero ser a minha melhor versão todos os dias.

Essa frase eu ouvi da minha esposa, que é Psicóloga e Coach, parceira fundamental no meu processo, ela que me apoiou me ouvindo reclamar do trabalho, da faculdade, sim, porque a vida não para pra você emagrecer, as coisas ruins continuam acontecendo e elas não podem ser desculpa pra abandonar o seu compromisso com a sua saúde. Minha esposa mesmo cansada, sempre se preocupou em cozinhar (eu não tenho o jeito) para que eu pudesse fazer minhas marmitas do dia e ela me acompanhou nisso tudo, mesmo sendo magrinha.

5) E quando você percebeu que o seu exemplo poderia ajudar outras pessoas ? Como começou o perfil @resolviseratleta ?

Gláucio: Eu nunca me vi como exemplo, por ter deixado minha saúde e meu peso chegarem num estado que necessitassem de uma atenção especial. Não via mérito no processo, até que, ouvir de tantas pessoas que eu as incentivava a sair do sedentarismo ou melhorar a própria alimentação só por acompanharem minhas postagens no Facebook ou Instagram me fez perceber que a minha história, minhas cabeçadas e meu aprendizado durante o processo de cura da obesidade e controle da pressão arterial através da atividade física tinham sim seu valor. Parecia que ver alguém com o meu histórico conseguir emagrecer, deixar de ser obeso, se alimentar melhor quebrava uma paradigma na cabeça deles, aquela crença limitante que nos impede até de tentar mudar.

Criei o @resolviseratleta porque postar um pouco do meu dia a dia nos treinos, da alimentação, minha visão do processo e minhas conquistas pessoais para os amigos e pessoas que se interessassem me ajuda a seguir mais forte no propósito e desmistifica um pouco a complexidade de se levar uma vida mais equilibrada seja na alimentação ou praticando exercícios.

6) Gláucio, muito obrigada pela participação no aqui no blog! Para finalizar, gostaria de deixar algum recado ou dica para os leitores?

Gláucio: Eu que agradeço a oportunidade de falar um pouco dessa minha experiência de vida. Digo que perseverem e não se entreguem nas primeiras cabeçadas que derem durante o processo de vocês. Descubra o que te move, defina o que fará você manter o foco no seu objetivo.

Levei mais de 10 anos de uma vida desregrada em que acumulei mais de 30 kg, não podia querer perde-los em 10 semanas. Não é saudável, optei por não usar remédios e nem podia usar sequer aqueles produtos “Termogênicos” por causa da pressão alta e mesmo assim eliminei mais de 40 kg de gordura. Não existe fórmula mágica para o emagrecimento, não existe atalho. Eu vivo hoje uma nova vida, mais equilibrada e sim ainda como meu churrasco, bebo a minha cerveja, o que mudou é que este não é mais um hábito são eventos, ocasiões e que tem muito mais valor do que quando eram hábitos, para isso, durante a semana eu mantenho minha alimentação impecável, como muito, muita comida natural, muita comida de verdade e quase nenhum industrializado, seguindo o plano que meu nutricionista criou e de vez em quando mexe devido a uma ou outra alteração na minha rotina de vida ou treinos.

Não dê tanto valor a balança, tire fotos sua quando começar e vá tirando no processo.. Ajuda a ver a mudança que nossa mente oculta olhando no espelho. As roupas falam por si e seu ânimo pra começar o dia também.

Entenda que mais do que os quilos que você perde o que vale é a vida que você ganha.

Muito obrigada por aceitar meu convite, amigo!

Espero que tenham gostado da entrevista e que seja a motivação que estavamos procurando para começar muito bem essa semana!

Um forte abraço a todos!!!!

 

2 Comentários

  1. Adorei!
    Ele é uma inspiração e depois de muito tempo sedentária comecei a praticar a corrida por conta dele.
    Nós elaboramos o programa #40diassemaçúcar para ajudar as pessoas que querem ter uma vida mais saudável também.
    Obrigada por estar com a gente nessa e por acreditar que saúde é um estado de plenitude.
    Estamos juntas nesse propósito.
    Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *