Exercício e Diabetes: entrevista com a Profa. Carla Ribeiro (Educadora Física e Doutora em Endocrinologia do Exerícício)

Especial Diabetes! Disfunções Sexuais: Uma complicação frequente do Diabetes mellitus (Entrevista com a Sexóloga Priscila Junqueira)
19 de novembro de 2016
Especial Novembro Azul: o que é ANDROPAUSA?
28 de novembro de 2016

Vamos completando a nossa semana do Especial Diabetes com um tema super importante: o exercício físico!
Todos sabemos que o exercício é primordial para o controle adequado do Diabetes e também para a prevenção. Mas isso só não basta: queremos mais detalhes do porque dessa importância toda…

Por isso, convidei a Profa. Carla Ribeiro, Educadora Física, Mestre e Doutora em Ciências da Motricidade (Biodinâmica da Motricidade Humana) pela UNESP.  Ela contou tudo pra gente! Segue a entrevista!



1) O exercício faz muito bem à saúde e permite inclusive um melhor controle glicêmico em pacientes Diabéticos.  No entanto, existe o medo de que pacientes com diabetes Tipo 1 tem maior risco de hipoglicemia. Como você aconselharia um paciente diabético tipo 1 que deseja iniciar uma atividade física?

Profa. Carla:  Primeiramente o ideal é que a glicemia capilar esteja entre 100 a 200mg/dL antes de iniciar os exercícios. Além disso os estudos têm mostrado algumas estratégias para evitar e reduzir a hipoglicemia durante o exercício. 

– Caso a glicemia capilar esteja menor que 100mg/dL seria interessante a suplementação de carboidrato simples durante o exercício evitando hipoglicemia além de restaurar o glicogênio hepático e muscular;

– Reduzir a dose de insulina administrada pré-exercício, pois a contração muscular aumenta a captação de glicose e não aplicar a insulina em região que vai ser muito exigida durante o exercício (maior absorção da insulina).

– Reduzir em 30 a 50% a dose de insulina regular ou de rápida absorção quando esta for usada 1 a 3 h antes do exercício.

– Realizar exercícios resistidos e de alta intensidade antes dos exercícios aeróbios devido à mobilização do substrato energético. E dar preferência ao treinamento no período da manhã, evitando a hipoglicemia noturna.

– Realizar o monitoramento glicêmico antes durante (exercício com duração maior que 45 min) e após o exercício.

2) Já no Diabetes tipo 2, geralmente associado à obesidade, hipertensão e colesterol elevado, é frequente que os médicos indiquem a atividade física como parte do tratamento. Quais os melhores exercícios para pacientes diabéticos tipo 2?

Profa. CarlaEm relação aos exercícios aeróbios indica-se 150 min/semana em intensidade moderada (50 a 70% frequência cardíaca máxima) ou 75min/semana em intensidade alta; já a prática de exercícios resistidos deve ser realizada no mínimo 2x/semana alternando exercícios tradicionais em máquinas (De 10 a 12 exercícios envolvendo grandes grupos musculares) com exercícios integrados, como treinamento funcional utilizando pesos livres e calistênicos.

Estudos clínicos evidenciam a importância em associar o exercício resistido e exercício aeróbio em pacientes que apresentam diabetes tipo 2. Além de associar diferentes intensidades de treinamento visando um maior gasto energético bem como melhorar metabolismo basal (maior captação de glicose e sensibilidade a insulina).
3) O exercício melhora o colesterol? 

Profa. CarlaSim. O exercício físico, principalmente a associação do treinamento aeróbio/anaeróbio bem como em diferentes intensidades (moderado a alta intensidade) melhora o perfil lipídico, reduzindo Triglicerídios, aumentando níveis de HDL-c e reduzindo os níveis de LDL-c, melhorando desta forma o colesterol total. 

4) Pensando na prevenção do Diabetes em pessoas obesas ou com história familiar, o exercício é uma das medidas que mais tem impacto nos estudos.  Que tipo de exercício você recomendaria para a prevenção do diabetes?

Profa. CarlaUma perfeita orientação de exercício físico para a prevenção do diabetes bem como as comorbidades associadas como, por exemplo, a obesidade, contempla pelo menos dois tipos de exercício: aeróbio e de fortalecimento muscular ou resistido. 

O ideal é que a prescrição seja realizada com exercícios de moderada e alta intensidade (contínuo e intermitente), associando os diferentes sistemas energéticos aeróbio e anaeróbio além de combinar o treinamento tradicional com treinamento funcional.

5) E para a perda de peso?

Profa. CarlaPrimeiramente para perder peso deve-se associar o treinamento físico a uma dieta balanceada visando um balanço energético negativo, ou seja, maior gasto calórico e menor ingestão alimentar. 

Deve-se realizar atividades buscando aumento de massa magra o que possibilitaria maior gasto energético, além de exercícios que aumentem o consumo máximo de oxigênio. 

Ou seja, associar diferentes métodos de treinamento, periodizando as intensidades e duração do exercício, associando sempre os diferentes tipos de treinamento.
6) E para finalizar, alguma dica ou recado para os leitores do blog?

Profa. Carla     “O melhor exercício físico para prevenção e tratamento de doenças metabólicas é deixar o sedentarismo e mudar os hábitos alimentares. E Qual o melhor exercício? Aquele que você gosta de praticar e o fará rotineiramente!!!! Cuide-se sempre!”

Muito obrigada, professora! Por ter respondido toda a nossa entrevista com tanto carinho! Esperamos ter sempre você por aqui!

(acompanhe a trajetória da professora Carla no perfil do Instagram @coachcarla.inshape )

Um forte abraço a todos!


1 Comentário

  1. Anônimo disse:

    Vamos malhar! Assim evitam-se várias doenças e ficamos bonitas rsss… Como disse a prof Carla devemos fazer os exercícios que gostamos para não desistir rápido. Bjs M

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *