Tudo sobre TERMOGÊNICOS

SONO & SAÚDE: o impacto profundo que a falta de sono causa na nossa qualidade de vida
23 de janeiro de 2017
Duas receitas termogênicas para o “pré-treino”!
6 de fevereiro de 2017
Esta semana eu recebi uma pergunta pelo instagram e achei que seria um tema bem legal para um post completo!
Apesar de sempre comentar nas receitas sobre os temperos termogênicos, existem os suplementos termogênicos (que são mais concentrados, contém uma quantidade bem maior de estimulantes).  Também são usados os termos “estimulantes” e “energéticos”, muitas vezes como sinônimos pelo marketing de produtos, o que pode acabar confundindo as pessoas.
No post de hoje, vou conceituar esses termos, exemplificá-los e responder ao que as pessoas tem mais dúvidas: são seguros?


Termogênicos x estimulantes x energéticos

Termogênicos

O termo “Termogênico” se refere à capacidade que um elemento tem de estimular a produção de calor pelo corpo. Ao produzir calor, o corpo utiliza energia (em especial a glicose) e para tal aciona um sistema de hormônios chamado “Sistema adrenérgico”.  


A ativação do sistema adrenérgico promove não só a produção de calor e gasto de energia, mas também o aumento da frequência cardíaca (taquicardia), aumento da entrada de ar para os pulmões (broncodilatação), uma redistribuição do fluxo do sangue (aumentando o fluxo para a “periferia”, músculos e cérebro, e diminuindo o fluxo para o sistema digestivo).  Os olhos ficam mais abertos, o cérebro mais atento e o corpo pronto para lutar ou correr: é uma adaptação natural para a “luta e fuga” dos nosso antepassados das cavernas.


A termogênese fisiológica acontece quando nos expomos ao frio intenso, de forma a nos defender e manter a temperatura corporal.  Portanto, o nosso “termogênico” natural (aquele que naturalmente estimula a reação termogênica do corpo) é o frio.

Estimulantes



Estimulantes são substâncias cujo efeito é de estimular o sistema nervoso central (cérebro), que passa a funcionar mais rapidamente.  Como resultado, a pessoa anda mais, corre mais, dorme menos, fala mais, come menos… Essas substâncias são susceptíveis de abuso e dependência. 


As mais frequentes são a cafeína e nicotina (presente no cigarro), mas também estão incluídas no grupo as anfetaminas, cocaína (e derivados) e crack. O uso de uma dessas substâncias aumenta o risco do uso de outra (“adicção cruzada”); um exemplo frequente é a associação de café com cigarro. 


Como o efeito delas é breve, ao passar o efeito, o corpo entra num estado de “lentidão”, chamado de efeito “rebote” (como se ele tivesse tido um grande trabalho para poder se “acelerar” e entrasse numa fadiga).  Esse efeito rebote pode aumentar ainda mais o risco de dependência.

Energéticos



A definição correta do termo “Energético” é que são substâncias que fornecem energia para o corpo. Nossa principal fonte de energia é a glicose, portanto, qualquer alimento e bebida que fornecem glicose para o corpo são teoricamente fontes de energia e portanto, “energéticos”.  


No entanto, este termo é utilizado na indústria para classificar bebidas (e também suplementos) não alcoólicas que contém geralmente uma associação de cafeína e taurina, aumentando o metabolismo e o estado de alerta.


Os suplementos “termogênicos”

São eficazes?

Existem vários tipos diferentes de suplementos termogênicos no mercado, mas de uma forma geral, eles são uma composição de um ou mais dos seguintes elementos: CAFEÍNA, SINEFRINA (também conhecida como Citrus Aurantium ou laranja amarga), CHÁ VERDE e IOIMBINA.  Todas essas substâncias atuam, direta ou indiretamente, ativando o sistema adrenérgico.


A ativação do sistema adrenérgico com o uso dos suplementos termogênicos teria como objetivo estimular o corpo e prepará-lo para uma atividade física pois todas essas reações de aumento da frequência cardíaca, da capacidade respiratória, do aumento do fluxo de sangue para o músculo e estímulo à queima de energia seriam benéficos para quem vai iniciar um exercício (pois teoricamente seria um estímulo extra a um aumento da performance). Nos estudos científicos, o uso destes suplementos (em doses adequadas e sob supervisão médica) melhorou a performance em várias modalidades desportivas.


Acontece que muitas pessoas, por acharem que os termogênicos são “queimadores de gordura”, acabam fazendo uso justamente para “não precisar fazer exercício”, achando que este suplemento aumentaria a queima de gordura corporal sem necessidade de suar na academia. Todos os estudos que testaram os termogênicos para perda de peso não demonstraram eficácia (nem em praticantes de exercício), portanto, esse grupo de suplementos não é indicado para perda de peso.


Em resumo, os suplementos termogênicos podem ser utilizados (desde que em doses corretas e sob supervisão) em atletas para melhora da performance esportiva, mas NÃO SÃO INDICADOS PARA PERDA DE PESO.


São seguros?

Gostaria de chamar a atenção de vocês para o seguinte detalhe: a diferença entre o remédio e o veneno é a dose.


Toda reação de defesa do nosso organismo tem um “custo” e não pode se perpetuar eternamente. O sistema adrenérgico é um sistema de defesa, que é ótimo para situações agudas de perigo (como o frio intenso), porém quando este sistema precisa se manter ativado por mais tempo, a adrenalina dá lugar ao “cortisol”, o hormônio do estresse, que é o responsável por “segurar” essa situação extrema por um tempo mais longo (saiba mais sobre o cortisol no post sobre hormônios adrenais – clique aqui). 


Se esses sistemas se mantém ativados, inicialmente há aumento do consumo de glicose; na sequência, ocorre estímulo à queima de gordura MAS TAMBÉM DE MÚSCULO pois tanto a gordura quanto a proteína são transformadas em glicose pelo corpo (em última análise, é a glicose nosso principal combustível). 


O estímulo adrenérgico prolongado pode gerar sobrecarga ao coração (que se mantém em alta frequência por muito tempo); prejudica a digestão (pois o fluxo sanguíneo é redistribuído) e pode levar a sintomas psicológicos como irritabilidade, estresse, ansiedade, depressão e até mesmo crises psicóticas. Nosso corpo não foi feito para se manter em estado de alerta. Fomos feitos para viver em paz!


Essas reações acontecem quando passamos por estresses prolongados, situações catástrofe, doenças graves e crônicas, acidentes, cirurgias. E também quando fazemos uso prolongado de substâncias estimulantes e suplementos contendo substâncias “termogênicas” – principalmente quando se utilizam doses altas, por conta própria, por achar que são emagrecedores. 


Lembrem-se que o estímulo adrenérgico prolongado faz também perder músculo (massa magra) e a consequência depois que o efeito passa é justamente a oposta: redução do metabolismo para compensar o gasto excessivo e o estresse excessivo que ocorreu sob estímulo adrenérgico prolongado.  E com diminuição da massa magra, o corpo vai compensar a perda de peso acumulando ainda mais gordura corporal.


A utilização de termogênicos como melhoradores de performance esportiva tem sido muito estudada pela ciência. Mas este é um público muito específico e geralmente um atleta é muito bem acompanhado por uma equipe de saúde que pesa muito bem riscos e benefícios de cada elemento utilizado por ele. Nâo é o caso da maioria das pessoas.


Por isso, eu não aconselho o uso de suplementos termogênicos por conta própria, muito menos sem ter passado por uma avaliação médica completa. A dose também deve ser individualizada (a dose do seu amigo pode não ser boa pra você) e estar de acordo com o restante da dieta, por isso, o acompanhamento médico e nutricional é essencial.


No entanto, existem termogênicos naturais, que estão presentes em um grupo de alimentos e podem ser consumidos para ajudar a “acordar o corpo” e acelerar o metabolismo.

Termogênicos naturais: uma ótima opção para acordar o corpo

Uma forma de naturalmente despertar o corpo e “acelerar” o metabolismo é fazendo uso dos chamados termogênicos “naturais” (naturalmente presentes nos alimentos).


Como já foi dito anteriormente, o café (cafeína), o guaraná em pó e o chá verde são estimulantes naturais e se consumidos com parcimônia, são ótimos para a saúde. O chá verde é rico em antioxidantes naturais. O guaraná em pó também é rico em cafeína e pode conter uma quantidade três vezes maior do que o café, sendo uma ótima opção para os que não tomam café. Já os amantes do café (como eu) podem comemorar: uma xícara de café pela manhã é comprovadamente benéfico para o funcionamento do cérebro e até para diminuir o risco de diabetes, segundo um estudo. 
Mais uma vez ressalto que o uso em excesso faz mal!
(tem mais detalhes sobre o chá verde no post sobre chás! clique aqui).


Também são termogênicos naturais os temperos como a cúrcuma (leia mais aqui), as pimentas, a canela e o gengibre.  Mas tanto o café e chá verde quanto esses temperos devem ser usados principalmente na parte da manhã e no almoço, pois se usados à noite podem prejudicar o sono!

Mensagem final

Quem busca uma vida e um peso saudáveis podem ter como aliados os termogênicos naturais, que ajudam a despertar o corpo e aceleram o metabolismo. Uma xícara de café pela manhã, uma de chá verde após o almoço, usar cúrcuma + pimenta do reino na comida e canela + gengibre em sucos e frutas pode além de trazer vários benefícios para a saúde, ser aquele extra que faltava para chegar no peso desejado.


No entanto, o uso de suplementos termogênicos não deve jamais ser feito sem uma avaliação médica e principalmente por conta própria, devido ao enorme risco de efeitos colaterais (e também de dependência, em alguns casos).


Equilíbrio é tudo! Seja responsável e não coloque pra dentro do seu corpo nada que te faça mal!


Um forte abraço a todos e uma ótima semana

1 Comentário

  1. Anônimo disse:

    Muito bom o post! Explica com clareza tudo sobre termogênicos e derruba mitos diversos. Como ouvimos bobagens por aí e principalmente na academia! Todos deveriam ler esse texto. Bjs M

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *