COMUNICAÇÃO & PRECONCEITO (O caso do “piolho”)