O que são “ALIMENTOS FUNCIONAIS”?

Especial Dia dos Pais: cuide da saúde do seu papai!
14 de agosto de 2017
Pausa no Blog…
1 de setembro de 2017

Muito tem se falado nas mídias sociais e blogs de saúde sobre os alimentos funcionais. Dentro da área da nutrição, inclusive, existem cursos de especialização (Nutrição Funcional) para que os profissionais de nutrição se especializem neste tema. Mas afinal, o que são os alimentos funcionais? Devemos incluí-los na nossa rotina?

 

Segundo o livro “Alimentos Funcionais” (Neuza Maria Brunoro Costa e Carla de Oliveira Barbosa Rosa), o conceito de alimentos “funcionais” vem desde a década de 80, no Japão. Refere-se ao efeito encontrado em certos alimentos que, como parte de uma dieta normal, provocam efeitos que vão além da alimentação propriamente (proporcionar aporte de energia, vitaminas e minerais) mas acabam por apresentar benefícios “extras”, melhorando funções fisiológicas ou reduzindo o risco de doenças.

 

A propriedade funcional atribuída é aquela relativa à ação metabólica ou fisiológica que a substância (podendo ser nutriente ou não), presente no alimento, tem no crescimento, no desenvolvimento, na manutenção e em outras funções normais do organismo humano”.

 

Desde que esse conceito foi regulamentado pelo Ministério da Saúde e Bem Estar Japonês, diversas outras entidades sanitárias no mundo começaram a identificar e definir este conceito, além de efetivar uma legislação a respeito. Hoje em dia, existem definições específicas em vários países do mundo (como Canadá, Estados Unidos, União Européia e Austrália), porém somente no Japão a expressão “alimento funcional” é definida por Lei.

Um detalhe interessante é que esse nicho despertou o interesse da indústria alimentar. Em alguns lugares do mundo, a inclusão de nutrientes no alimento (fortificação) faz com que o alimento seja considerado “funcional”.

Porém, para que um alimento seja considerado funcional, ele deve obedecer a certos princípios e estudos científicos. Essa avaliação no Brasil é feita pela ANVISA com a contribuição de pesquisadores da área de Nutrição, Toxicologia, Tecnologia de alimentos entre outras. A Anvisa orienta inclusive que não se defina um alimento como funcional e sim aprovar a “propriedade funcional de alimentos”.

Um alimento para ser considerado funcional deve ter sido estudado cientificamente tanto do ponto de vista químico, bioquímico, nutricional como também clínico para avaliação da EFICÁCIA e principalmente, da SEGURANÇA a longo prazo. Este último item merece especial atenção: jamais pode ser classificado como propriedade de saúde sem que tenham sido feitos estudos epidemiológicos e clínicos que atestem segurança e eficácia!

Então, para resumir e tornar a coisa mais simples:

  1. Alimentos funcionais são aqueles que apresentam propriedades benéficas para o organismo que vão além da nutrição, como por exemplo prevenção de doenças e melhora do funcionamento do corpo;
  2. Para ser considerado funcional, esta propriedade “extra” do alimento deve ser observada quando o mesmo é consumido na sua forma natural dentro da alimentação normal do indivíduo (produtos concentrados, processados ou em cápsulas não são ALIMENTOS FUNCIONAIS!);
  3. O consumo dos alimentos funcionais é benéfico para saúde. Podemos e devemos incluí-los na nossa alimentação rotineira.
  4. ALIMENTOS FUNCIONAIS NÃO DEVEM SER VISTOS COMO “REMÉDIOS NATURAIS” E NÃO DEVEM SER CONSUMIDOS COM ESSA FINALIDADE. Na dúvida, consulte um médico ou nutricionista.

Alguns exemplos de compostos funcionais presentes nos alimentos:

  • Ômega 3 (linhaça, peixes) – equilíbrio dos triglicerídeos
  • Licopeno (tomate) – antioxidante natural
  • Fibras alimentares (hortaliças) – funcionamento intestinal
  • Inulina (alho, cebola, alho poró, alcachofra) – equilíbrio da microbiota intestinal

Com esse post introdutório, vou começar uma série com mais alguns posts falando dos alimentos funcionais. Não deixem de acompanhar o blog!

Espero que tenham gostado!

Um forte abraço a todos e uma ótima semana!

 

1 Comentário

  1. Marilena disse:

    Muito bom! Como o tema esta na moda e muitas pessoas procuram para melhorar a saúde, vários mitos e falsas notícias aparecem e são divulgadas. Vou acompanhar os posts porque o tema é super interessante e útil para todos nós. Bjs M

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *